5/9/2018 19:14 Alvaro Dias defende mudanças na política de reajuste do salário mínimo

O candidato do Podemos à Presidência da República, Alvaro Dias, defendeu uma mudança na política de reajuste do salário mínimo e sua desvinculação dos benefícios da Previdência Social. "[Salário mínimo] Vinculado ao crescimento do Produto Interno Bruto [PIB] e descolando as demais despesas públicas do salário mínimo. O salário mínimo não pode ser a referência para as outras despesas públicas", disse o candidato.

Para Dias, o salário mínimo tem de estar vinculado ao crescimento econômico do país para recuperar o poder de compra dos trabalhadores. A proposta do candidato não inclui no cálculo da correção do mínimo a variação da inflação, como ocorre atualmente.

>> Entrevista na íntegra:

 

Seu programa de governo prevê o aumento dos investimentos para 22% do PIB em 2022, o que deverá elevar o crescimento do país para, em média, 5% ao ano e gerar 10 milhões de empregos. O presidenciável disse ainda que vai manter o Bolsa Família, mas propõe a criação de um programa de formação profissional dos beneficiários para que eles consigam emprego com carteira assinada. "O Bolsa Família tem de ser entendido como investimento e não como despesa, mas não podemos mais admitir o roubo no Bolsa Família", afirmou.

Dias foi o sexto presidenciável entrevistado pelos veículos da Empresa Brasil de Comunicação (EBC). As entrevistas são transmitidas ao vivo, a partir das 17h30, pela TV Brasil, Rádio Nacional, Portal EBC e Agência Brasil. A entrevista também é disponibilizada no perfil da TV Brasil no twitter (@TVBrasil) e no Youtube, no canal da TV Brasil.

As entrevistas têm duração de 45 minutos, divididos em três blocos, com a participação de profissionais da Agência Brasil, TV Brasil e Rádio Nacional. No entanto, a entrevista de Dias foi menor que a dos candidatos anteriores, porque ele chegou às 17h43 à sede da EBC, em Brasília. Participaram da entrevista a âncora Roseann Kennedy e os jornalistas Mara Bergamaschi (Agência Brasil), Valter Lima (Rádio Nacional) e Pedro Pontes (TV Brasil).

A Empresa Brasil de Comunicação (EBC) entrevista o candidato à Presidência da República pelo Podemos, Alvaro Dias. Ele é o sexto a participar da série de entrevistas da EBC com presidenciáveis.
A Empresa Brasil de Comunicação (EBC) entrevista o candidato à Presidência da República pelo Podemos, Alvaro Dias. Ele é o sexto a participar da série de entrevistas da EBC com presidenciáveis - Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O objetivo é mostrar à população as propostas e ideias de todos os candidatos, enriquecendo o debate sobre os grandes temas nacionais. A ordem das entrevistas foi definida por sorteio, em reunião na sede da EBC, com a participação de assessores dos candidatos à Presidência.

Segurança

O candidato disse que adotará “tolerância zero” em relação à corrupção, começando pela segurança na área de fronteira. Defendeu mais financiamentos e capacitação com integração do Exército e das polícias. Se eleito, ele instituirá uma Frente Latino-Americana de Combate ao Crime, com armamento pesado para policiais.

Progressão de Pena e Saidões

Alvaro Dias disse que é preciso aprimorar a legislação, pois os presídios são “escolas de crime”. Ele propôs tratamento diferenciado para quem é condenado pela prática de crimes violentos, quem deve ter seus casos julgados por tribunais especiais. Segundo ele, a medida vai reduzir o impacto nas penitenciárias. O candidato também defendeu o fim dos saidões e disse que convidou juristas conhecidos para auxiliá-lo no aprimoramento da legislação.

Descriminalização das drogas

Alvaro Dias disse que, se eleito, não vai descriminalizar as drogas e nem colocar o assunto para debate da população, na forma de plebiscito ou consulta pública. Segundo ele, é preciso combater todas as etapas, desde a produção ao tráfico de drogas.

SUS

O candidato disse que há falta de honestidade no gerenciamento de recursos e na execução dos programas de saúde pública. Alvaro Dias defendeu a criação de uma nova carreira, típida de Estado, que será o “médico federal” para substituir o programa Mais Médicos. Ele disse que cabe à União oferecer a orientação técnica para os estados e municípios. Alvaro Dias descartou a possibilidade de recriar a CPMF, o chamado imposto do cheque, para financiar a saúde pública do país. Segundo ele, o Brasil aplica mais em saúde do que muitos países, mas há um problema de “incapacidade de gestão” e “desonestidade”.

Bolsa Família

O candidato do Podemos disse que o Bolsa Família tem de ser visto como investimento e não como despesa, mas criticou o pagamento indevido do benefício, que classificou como “desvios” e “roubo”. Para ele, o Bolsa Família deve ser encarado como uma preparação para a inserção no mercado de trabalho. “Assinada a carteira de trabalho, o trabalhador não voltará ao Bolsa Família, pois poderá exercer a cidadania.”

Cotas

O candidato do Podemos disse que investir em educação reduz vários índices negativos, como a criminalidade. Ele defendeu a manutenção das cotas sociais e disse que é essencial valorizar o ensino fundamental. Para ele, é preciso discutir que “escola nós queremos”.

Salário Mínimo

Alvaro Dias disse que o salário mínimo não pode ser a referência para outras despesas públicas. Pela proposta do candidato, se eleito, o reajuste do mínimo será feito com base no crescimento econômico e não na inflação.

Empregos

Se eleito, o candidato afirma que vai criar 10 milhões de empregos em quatro anos. Para isso, diz que o Brasil terá de crescer 5% ao ano a partir de um pacto suprapartidário de governabilidade, descolando o setor privado do público. Para ele, as desigualdades sociais são decorrentes das desigualdades de oportunidades.

Previdência

A reforma da Previdência proposta por ele considera uma conta individualizada e capitalizada de modo que o contribuinte possa depositar mais do que a lei determina para garantir uma aposentadoria maior do que é definido atualmente. Haverá ainda, segundo ele, um fundo de recursos.

Corrupção

Alvaro Dias sugere um rompimento com o sistema atual. De acordo com ele, se a mudança não for levada adiante, a corrupção continuará.

Edição: Denise Griesinger
ADtica%20de%20reajuste%20do%20sal%C3%A1rio%20m%C3%ADnimo" class="facebook fa fa-facebook social-share-facebook click-share" title="Facebook" target="_blank" data-width="400" data-height="300">    


Fonte: Agência Brasil - http://agenciabrasil.ebc.com.br


MAIS NOTÍCIAS DE MERCADO



15/11/2018 18:13 Comércio ilegal de cigarros supera mercado regular no Brasil

1/11/2018 16:43 Brasil busca ampliar su mercado en China

28/10/2018 21:04 Escolha de Paulo Guedes emitiu sinais ao mercado do programa econômico

14/10/2018 11:42 Programa debate tecnologias que desafiam mercado de trabalho

9/10/2018 9:20 Indicadores do mercado de trabalho da FGV mostram piora em setembro

2/10/2018 12:11 Idosos estão adiando cada vez mais saída do mercado de trabalho

20/9/2018 7:01 Ipea confirma tendência ao desalento no mercado de trabalho

30/8/2018 15:03 Iniciativa prepara refugiadas para o mercado de trabalho brasileiro

13/8/2018 9:21 Estimativa do mercado financeiro para inflação sobe para 4,15%

26/7/2018 15:34 Pessoas com HIV continuam discriminadas no mercado de trabalho