7/10/2018 13:35 Em Buenos Aires, brasileiros votam na embaixada em clima tranquilo

Quando as portas da Embaixada do Brasil na Argentina abriram, às 8h deste domingo (7), já havia uma pequena fila do lado de fora, de brasileiros habilitados para votar. Mas o maior número de pessoas chegou por volta das 10h. A consul geral Claudia Buzzi disse que aumentou a quantidade de eleitores brasileiros em Buenos Aires, de 5.100 em 2014 para 6.210 este ano, mas que estavam preparados para acolher os que chegarem na última hora.

“A votação termina às 17h, como no Brasil. Vamos deixar entrar quem continuar na fila, do lado de fora, naquele momento. E só encerraremos quando quem estiver dentro já tiver votado”, disse, em entrevista à Agência Brasil. Do lado de fora, canais de televisão locais entrevistavam eleitores. A imprensa local tem acompanhado com atenção as eleições no Brasil - maior sócio comercial da Argentina.

Angela Solange Carlos da Silva, do Rio Grande do Norte, vive na Argentina há 20 anos e disse ter esperança no futuro. “Acho que os brasileiros aqui estão mais animados para votar. Meus parentes, no Brasil, dizem que estão desiludidos e estão indo [votar] por obrigação. Mas aqui na fila vi muita gente decidida a participar, o que é bom para a democracia”, disse.

Vinicius Guevara dos Santos, brasileiro filho de argentino, divide o tempo entre os dois países. Em 2014 ele votou em Buenos Aires. “Agora vejo mais gente votando aqui, o que é positivo”, disse. “Por outro lado, noto o Brasil muito polarizado. O ódio me preocupa”.

Angela Maria da Silva vive há 25 anos na Argentina e diz que, pela primeira vez desde que saiu do Brasil, não pensa em voltar. “Nunca vi tanta confrontação e tantas pessoas votando por ódio ao outro e não por convicção. Não se trata de ser a favor ou contra um candidato ou um partido, acho que o mais importante agora é garantir a paz e a democracia”, disse.

Muitos turistas também passaram pela embaixada, achando que podiam votar. Mas na porta receberam a explicação de que somente quem transferiu o título eleitoral do Brasil para o país de residência pode votar no exterior. E mesmo assim, só para presidente.

No inicio da tarde, a fila para votar em frente a Embaixada do Brasil em Buenos Aires dava volta ao quarteirao. Os comentarios eram de que nunca houve tanta gente votando. 

Dois observadores internacionais acompanharam a votação: Betina Lippenholtz, da Organização dos Estados Americanos (OEA) e Carlos Vizcay, do Instituto da Democracia e Eleições (Idemoe). “Está tudo transcorrendo em ordem e rapidamente, com bastante participação, pelo que vejo”, disse Vizcay, no final da manhã.

Edição: Fernando Fraga


Fonte: Agência Brasil - http://agenciabrasil.ebc.com.br


MAIS NOTÍCIAS DE CLIMA



28/11/2018 16:01 Brasil retira candidatura para acoger Conferencia del Clima de la ONU

28/11/2018 7:33 Para Brasil, prioridades no G20 são comércio, clima e trabalho

28/10/2018 18:44 Autoridades destacam clima de tranquilidade das eleições

29/8/2018 11:48 "O clima é de medo", diz cineasta brasileira deportada da Nicarágua

9/8/2018 10:04 Indicador de clima econômico recua no país, diz FGV

17/6/2018 12:08 Carioca ainda aguarda estreia do Brasil para entrar no clima da Copa

3/6/2018 11:39 Eleição suplementar em Teresópolis transcorre em clima tranquilo

27/5/2018 17:21 Torcida se despede da seleção em clima de otimismo rumo ao hexa

22/2/2018 16:19 Fundação Getulio Vargas aponta melhora em clima econômico da América Latina

19/2/2018 16:02 Morador do DF, Tocantins e de Mato Grosso já pode receber alerta de clima em SMS