Novembro Azul

9/2/2017 14:00 Meirelles diz que mercado deve elevar previsão de crescimento da economia

Brasília - Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, durante coletiva sobre o acordo que prevê empréstimos ao Rio de Janeiro no valor de R$ 6,5 bilhões (Valter Campanato/Agência Brasil)

Henrique Meirelles reforçou a expectativa de que, no último trimestre deste ano, a economia apresentará crescimento de 2%              Valter Campanato/Agência Brasil

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse hoje (9), em Brasília, que espera a revisão para cima da estimativa do mercado financeiro para o crescimento da economia este ano, atualmente em 0,5%. A previsão do governo é de expansão de 1%.

Ele reforçou a expectativa de que, no último trimestre deste ano, a economia apresentará crescimento de 2% na comparação com o mesmo período de 2016. “O país, sim, já está em uma trajetória de crescimento”, afirmou.

Meirelles disse, ainda, que não há necessidade de fazer revisão da projeção para o Produto Interno Bruto (PIB) agora, o que ocorrerá somente em março. No próximo mês, o governo tem que apresentar um relatório de receitas e despesas do orçamento e pode definir bloqueio de gastos para atingir a meta de déficit primário (despesas superiores às receitas, sem contar gastos com juros). A meta é de R$ 139 bilhões neste ano.

Recentemente, o ministrou da Fazenda indicou que poderia fazer uma revisão da projeção para o Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todas as riquezas produzidas pelo país - após analisar dados de produção e consumo. Agora, após avaliar esses dados, o ministro disse que o governo chegou à conclusão de que não é necessário fazer a revisão antes de março.

Arrecadação

Questionado sobre a necessidade de bloqueio de gastos de 0,5% do PIB (cerca de R$ 39 bilhões) estimada pela Instituição Fiscal Independente do Senado para cumprir a meta, Henrique Meirelles disse que é preciso esperar o efeito na arrecadação de medidas como a do novo programa de repatriação de recursos em tramitação no Congresso Nacional e do Programa de Regularização Tributária, que podem gerar mais receitas.

“Além disso, um dado importante é que, quando o PIB cai, como caiu no ano passado, a arrecadação cai mais. Quando o PIB sobe, historicamente a arrecadação sobe mais que o PIB. Portanto, é importante aguardarmos também a evolução da arrecadação durante o decorrer do ano”, disse Meirelles, após participar do evento Caixa 2017, em Brasília.

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: Agência Brasil - http://agenciabrasil.ebc.com.br


MAIS NOTÍCIAS DE ECONOMIA



9/11/2017 12:00 IBGE revisa PIB e economia teve queda menor que a anunciada em 2015: 3,5%

2/11/2017 12:00 Crise catalã pode causar impactos na economia espanhola, mostra banco

30/10/2017 10:00 Indicador de Incerteza da Economia recua 8,3 pontos, mostra FGV

19/10/2017 19:00 Recuperação da economia começa a influenciar arrecadação, diz Receita

10/10/2017 16:00 FMI eleva para 0,7% previsão de crescimento da economia brasileira em 2017

9/10/2017 8:00 Americano ganha Nobel por estudos sobre economia comportamental

5/10/2017 13:05 Temer afirma em Belém que houve crescimento da economia em "prazo curtíssimo"

28/9/2017 10:00 Indicador de Incerteza da Economia recua e atinge menor nível desde abril

25/9/2017 14:00 Empresários alemães alertam que economia do país "não pode permitir a xenofobia"

21/9/2017 9:00 Banco Central eleva projeção de crescimento da economia para 0,7% este ano



Atendimento Online MF Rural