8/3/2017 14:01 Parceria pretende inserir 500 empresas brasileiras no mercado de exportação

O Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) e a Confederação Nacional da Indústria (CNI) anunciaram hoje (8) uma parceria para apoiar a inserção de 500 empresas brasileiras no mercado internacional. O prazo de inscrição será aberto em julho para indústrias de todos os portes, setores e unidades da federação.

Elas farão parte do programa Rota Global, que oferece consultoria completa para empresas não exportadoras investirem no mercado internacional, com diagnóstico, desenho de estratégia e acompanhamento.

Rio de Janeiro - Fotos do porto do Rio de Janeiro

Meta da parceria é inserir pelo meno 100 novas empresas no mercado de exportaçãoArquivo/Tânia Rêgo/Agência Brasil

A meta é traçar o diagnóstico de 500 empresas, desenvolver planos de negócios para 200 delas e, ao final do projeto, em 2018, ter ao menos 100 novas empresas com operações concretas de exportação. O programa é desenvolvido pela CNI, em parceria com a União Industrial Argentina e o Parque Tecnológico de Extremadura, na Espanha.

O investimento de R$ 1,2 milhão da iniciativa vem do AL-Invest, um programa da Comissão Europeia para fomentar a produtividade e competitividade de micro, pequenas e médias empresas na América Latina, como forma de combater a pobreza e a desigualdade social.

Presença digital

Também foi anunciada a parceria entre o MDIC e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para ações de convergência entre o Plano Nacional da Cultura Exportadora (PNCE) e a ConnectAmericas.com, uma plataforma virtual de negócios internacionais de empresas da América Latina e Caribe. Em dois anos de operação, mais de US$ 152 milhões em negócios foram fechados por meio da ferramenta.

A parceria MDIC-BID vai disponibilizar conteúdo didático sobre ingresso das empresas na atividade exportadora e estimular as empresas da ConnectAmericas.com a participarem do PNCE e vice-versa.

Os anúncios foram feitos hoje pelo ministro do MDIC, Marcos Pereira, durante reunião da Coordenação Nacional do PNCE. “As micro e pequenas empresas têm uma participação importante na geração de empregos e fomento da economia nacional. Mas não têm, pelo seu tamanho, uma condição de competitividade. Vamos poder fazer consultorias, apresentar essas empresas de forma mais abrangente no cenário internacional, treiná-las e com isso conseguir vender seus produtos que muitas vezes ficam focados no mercado doméstico”, disse Pereira.

O PNCE reúne iniciativas de instituições parceiras nacionais e estaduais, com o objetivo de aumentar a base exportadora, estimulando a inserção de empresas de pequeno porte no mercado externo. Em 2016, o plano contribuiu para que quase 5 mil empresas exportassem pela primeira vez. E para 2017, estão previstas mais de 200 ações de apoio às exportações no âmbito do PNCE.

Edição: Lidia Neves

Fonte: Agência Brasil - http://agenciabrasil.ebc.com.br


MAIS NOTÍCIAS DE ECONOMIA



17/7/2017 20:00 Relatório da OMC diz que recuperação da economia brasileira será gradual

8/7/2017 20:08 Mulheres se destacam em feira internacional de economia solidária

8/7/2017 10:00 Trump elogiou economia do Brasil, diz Temer no Twitter

7/7/2017 21:00 Secretário anuncia R$ 250 mil para feira de economia solidária

7/7/2017 13:00 CNI reduz projeção de crescimento da economia de 0,5% para 0,3% este ano

7/7/2017 13:00 Meirelles diz a jornalistas que a economia brasileira vai bem

7/7/2017 9:00 Em reunião do Brics, presidente chinês defende economia mundial aberta

7/7/2017 7:00 Cidade gaúcha sedia maior encontro de economia solidária da América Latina

6/7/2017 19:00 Ministro de Hacienda mantiene previsión de crecimiento de la economía brasileña

6/7/2017 12:00 Meirelles diz na Alemanha que mantém previsão de crescimento da economia em 0,5%



Atendimento Online MF Rural